Trabalho

Trabalho do 1.º Escalão

Centro Social Paroquial da Vera Cruz (Aveiro)

Memória Descritiva
“Sim, uma Árvore dá Frutos”
Centro Social e Paroquial da Vera Cruz
Pré-escolar
O pré-escolar é constituído por 7 salas de atividades e todas elas envolveram-se numa etapa da elaboração deste projeto. A árvore elaborada para o concurso seria uma laranjeira... Assim englobávamos a participação desta ação dentro da temática explorada em contexto do Plano Anual de Valência da Instituição, que aborda as cores (significado e influência no quotidiano das crianças).
1ª FASE: CONTEXTUALIZAÇÂO E SENSIBILIZAÇÂO
A sala 7 começou por explorar as origens desta árvore de fruto e elaborou um pequeno teatro para sensibilizar as restantes salas sobre as origens desta árvore que deu nome à cor (cor-de-laranja). Resumidamente, a laranja é originária da Índia, tendo-se depois espalhado pelo restante continente asiático, onde era conhecida como nareng ou narang. Mais tarde, a laranja foi levada para a Europa, pelos portugueses no tempo das cruzadas, sendo que em França passou a ser chamada de orange, um nome semelhante ao seu nome asiático, narange mas iniciado com “or” (ouro em francês). Além disso, ao que parece, antes de a laranja ser trazida para a Europa, não existia uma designação oficial para a cor laranja. Muitos chamavam-na de amarelo. Assim, o cor-de-laranja recebeu este nome devido a esse citrino. Antigamente, tanto o fruto como a cor eram considerados exóticos.

2ª FASE: EXPLORAÇÂO
Cada sala de atividades recebeu uma pequena laranjeira e um desafio… partir à descoberta deste fruto (características) e suas utilidades (gastronómicas; medicinais; decorativas; beleza; limpeza…). Depois da fase de exploração sobre a laranja e a laranjeira, lançamo-nos na tarefa de construir uma laranjeira com as embalagens Tetra Pack que ficasse na entrada principal do edifício.

3ª FASE: ELABORAÇÂO DA ÁRVORE
Todas as salas participaram na realização da laranjeira. Em primeiro lugar na recolha dos materiais. Para a realização das laranjas e das folhas utilizaram-se embalagens de sumos Compal. O tronco foi realizado a partir das embalagens de leite que utilizamos no lanche das crianças. As floreiras foram realizadas com as outras embalagens menos comuns: embalagens que tivessem uma tampinha de plástico, que permita a abertura das mesmas, para o escoamento da água em excesso da planta quando necessário.

A sala 1 comprometeu-se com a realização do tronco e ramos da árvore. As crianças forraram todas as embalagens de leite com sacos do pão reutilizados (as crianças e famílias também se envolveram na recolha deste material), colados com cola branca. A estrutura de suporte das embalagens eram rolos de papel (grandes, médios e pequenos) que foram igualmente forrados com as embalagens tetra pack anteriormente forradas com sacos do pão. A montagem de toda a estrutura foi realizada por adultos devido à utilização de cola quente, que por motivos de segurança, crianças desta faixa etária não podem utilizar.

Na sala 2 pintaram as embalagens Compal com tinta verde para serem cortadas em pequenas folhas de laranjeira. As salas 3 e 4 cortaram as folhinhas da laranjeira.

Na sala 5, as crianças cortaram embalagens Compal em pequenas tiras com as quais elaboraram laranjas bem redondinhas para pendurar nos ramos da laranjeira.

A sala 6 contribuiu com a realização das floreiras de plantas que rodeiam a nossa árvore. Plantaram pequenas alfaces que semearam anteriormente.


Leave a Reply