Trabalho

Trabalho do 2.º Escalão

EBI c/ JI Cidade de Castelo Branco (Castelo Branco)

ESCOLA EB c/ JI Cidade de Castelo Branco


Concurso “SIM, criar uma árvore DÁ FRUTOS”

Memória Descritiva

No âmbito do concurso “SIM, criar uma árvore DÁ FRUTOS”” promovido pela Associação Bandeira Azul da Europa, Tetra Pak e Compal, a professora coordenadora do Projeto Eco-Escolas, Maria Florinda Baptista Carrega, em parceria com a professora Maria Teresa Condeixa Monteiro, lançaram o desafio ao Clube de Ciências, do qual são coordenadoras, para a realização de uma árvore de fruto com embalagens Tetra Pak e com frutos com embalagens da Compal com o símbolo FSC.
A primeira fase do trabalho consistiu na recolha de embalagens de leite e de sumos da Compal na Escola e nas casas dos alunos.
As professoras trabalharam com os alunos, que fazem parte do clube das Ciências, sensibilizando-os no que respeita à atitude a ter perante a natureza, assim como dos riscos que corremos se não tivermos uma intervenção consciente perante o planeta. Chamou-se, assim, a atenção para a importância da deposição das embalagens para alimentos líquidos no ecoponto amarelo e ainda para o símbolo FSC constante das embalagens da Tetra Pak 1L utilizadas pela marca Compal.
Nas aulas do Clube de Ciências foram abordados os objetivos relativos à aplicação e exploração dos elementos da comunicação visual, direcionados para a elaboração da árvore. Assim, todos os alunos elaboraram um projeto cujo principal objetivo era o de criar uma melhor divulgação e comunicação, tendo em conta a criatividade e originalidade, a funcionalidade (estética e utilitária), a demonstração da capacidade de reutilização de recursos, as mensagens implícitas e explicitas e o cumprimento das regras do regulamento do concurso.
Cada aluno teve de colocar a sua criatividade no projeto, relativa ao tema, apresentá-la e fundamentá-la ao grupo/ Clube de Ciências. No final da apresentação dos projetos chegou-se ao consenso de que a árvore deveria ser, apelativa e educativa, consciencializando a comunidade educativa para a importância da separação seletiva.
A árvore ficará exposta no átrio principal da Escola Cidade de Castelo Branco, onde a comunidade educativa e a comunidade em geral terão acesso. No local e associada à árvore ficará também uma apresentação em formato PowerPoint, visualizada no LCD do mesmo átrio, sobre a importância da separação das embalagens, e o significado do símbolo FSC, bem como uma breve explicação acerca da construção da árvore e fotografias da construção da mesma.

Processo construtivo

A primeira fase do trabalho consistiu na recolha de embalagens de leite e de sumos da Compal na Escola e nas casas dos alunos. Essa foi a primeira tarefa e uma das mais importantes, tendo sido bem acolhida pelos alunos e famílias, funcionários da escola e comunidade docente.
Foi feita uma sensibilização junto dos alunos e funcionários sobre a importância da separação seletiva de embalagens e para o símbolo FSC.
A estratégia para a construção da árvore assentou numa fase inicial na produção, por parte dos alunos, de propostas de projetos para a sua implementação. Este passo foi bastante importante pela qualidade das ideias debatidas, as quais deram origem ao projeto final.
Definido esse projeto, passámos à fase seguinte: a construção da árvore.
Na construção da árvore utilizámos uma base de madeira, da qual saíram arames entrelaçados que simbolizam os ramos. A base de madeira foi forrada com embalagens verdes (simbolizando erva). Nessa base foram colocadas raízes castanhas feitas com embalagens de leite com chocolate. A base herbácea simboliza o planeta Terra que deve ser preservado; as raízes simbolizam a consciência ambiental que deverá estar enraizada em todos nós.
O tronco e os ramos da árvore foram revestidos com embalagens de leite com chocolate (previamente cortadas e trabalhadas). O tronco e os ramos representam o caminho que ainda se tem que percorrer, levando a seiva – os nossos bons comportamentos ambientais- até às folhas.
As folhas foram produzidas a partir de embalagens verdes de leite meio gordo (recortadas), as quais foram unidas em torno de um arame mais fino, construindo assim a folhagem. As folhas representam os habitantes do planeta Terra, que terão, todos, de ter cada vez mais uma consciência ambiental.
Com a árvore já montada, faltava colocar os frutos, os quais foram construídos de maneira semelhante à folhagem, mas com embalagens da Compal. Os frutos de espécies diferentes representam a variedade de vida que existe no nosso planeta, a qual temos que respeitar.
Terminada esta tarefa, a árvore “Mimos de Compal” ficou pronta para ser colocada no átrio da escola e apresentada à comunidade educativa.
Neste processo de produção participaram diretamente os alunos, os docentes e quatro funcionários.


Considerações finais

As professoras do Clube de Ciências entendem que a árvore é apelativa, graficamente bem elaborada, passando de um modo simples e direto a mensagem pretendida.
A avaliação deste trabalho foi muito positiva, pois fez-se, mais uma vez, a sensibilização aos alunos para as questões ambientais (separação e reutilização de resíduos), a par de um trabalho de pesquisa, desenvolvendo o espírito crítico e a criatividade.
Para além disso, a construção da árvore juntou a comunidade educativa em torno de um tema importante para todos nós.

Ficha técnica

Coordenadoras do Projeto: Profª Maria Florinda Carrega
Profª Maria Teresa Condeixa Monteiro
Aconselhamento Técnico: Profª Alda Sanches
Apoio Técnico: Sr. João Paulo Macedo
Imagem: Profº António Conceição
Recolha de material: D. Felisbela Sardinha
D. Cecília Roque
D. Celeste Veríssimo
Alunos: Beatriz Inês
Ana Cardoso Pires
Diana Vinheiras
Rita Cardoso
David Quadrado
Alexandre Nunes
Beatriz Lopes
Carolina Pinheiro
Domingos Frazão
Pedro Pereira
Francisco Miguel Roque
André Costa
Mariana Moreira
Maria Sofia Bride




Castelo Branco, abril de de 2014


Leave a Reply