Trabalho

Trabalho do 2.º Escalão

Escola EB 2,3 Octávio Duarte Ferreira de Tramagal (Abrantes)

ESCOLA OCTÁVIO DUARTE FERREIRA-TRAMAGAL


Memória Descritiva

1 – INTRODUÇÃO
Refere-se a presente memória descritiva ao projeto de construção de uma árvore, atividade integrada no passatempo “SIM, criar uma árvore DÁ FRUTOS” promovido pela Compal (marca da SUMOL+COMPAL) e pela Tetra Pak em parceria com o Programa Eco-Escolas da Associação Bandeira Azul da Europa.
O principal objectivo da atividade desenvolvida consistiu em construir uma árvore original com embalagens da Tetra Pak, onde (praticamente todas) incluíam o selo FSC, conforme o devidamente regulamentado no passatempo.
Depois de termos tido contacto com o passatempo, e, como elementos do conselho eco escolas, reconhecemos desde logo a sua grande pertinência pois é uma iniciativa que dá um contributo para a consciencialização das crianças e jovens para os assuntos do ambiente e para a sua preservação. Sendo uma atividade propiciadora do desenvolvimento de competências no âmbito da expressão plástica dos nossos alunos, decidimos que seria desenvolvida no âmbito da disciplina de Educação Visual e Tecnológica. É uma atividade que leva a uma possibilidade de reflexão e sensibilização dos intervenientes para a importância da reciclagem enquanto comportamento fundamental para a defesa das florestas e ambiente em geral.

2. ALUNOS INTERVENIENTES
Foram duas turmas do sétimo ano envolvidas nesta atividade. Foi essencialmente no decurso das aulas de Educação Visual e Tecnológica que se deu a construção da árvore. No entanto foi necessário para terminar este trabalho algumas horas fora da disciplina.

3. DESCRIÇÃO DA ÁRVORE
3.1. Dimensões
Desde muito cedo começou a germinar a ideia de um boneco a subir a árvore por umas escadas, a apanhar um dos frutos. Logo decidiu-se as dimensões da árvore tendo em conta este aspeto.
Para ser possível a realização deste trabalho foram necessárias diversos tipos de embalagens (diversos tamanhos, formatos, e cores) o que incitou nos alunos práticas de reciclagem, levando-os a recolher estes materiais, ao mesmo tempo, chamando a atenção destes para o significado dos símbolos “Tetra Pak” e “FSC”.


3.2. Materiais utilizados
Para forrar a copa da árvore colaram-se pacotes de sumo virados do avesso. No tronco da árvore fez-se uma colagem de pacotes mas já com a parte colorida voltada para fora, para dar alguma cor.A própria base da árvore, a simbolizar as raízes, também foi feita de pacotes espalmados. Para se fazer os frutos, cortaram-se pacotes e encaixaram-se ambas partes terminais, de forma a verem-se os símbolos . Depois com o que sobrava dos pacotes fez-se as flores.
As escadas foram feitas também com pacotes, mas de pequenas dimensões, essencialmente recolhidos na escola. Quando os colegas terminavam de beber um sumo era logo guardado com o intuito de ser utilizado neste trabalho.
Na construção do boneco, que acabou por ser a mascote dos intervenientes, utilizaram-se também embalagens de sumo coladas umas às outras. Teve direito a um boné feito também com uma embalagem de sumo, a uma boca e nariz feito de palhas e uns olhos de pionés. Também foi calçado, com o mesmo tipo de embalagens e ornamentado com dois “atacadores” verdes.
Para a aplicação e agregação das embalagens utilizou-se maioritariamente a cola quente aplicada a pistola.

4. METODOLOGIA DE TRABALHO:
4.1. Método de Resolução de Problemas
Seguindo a metodologia da disciplina, procedeu-se segundo o método de
resolução de problemas, em que, perante um dado desafio/problema inicial se
procedeu a um diagnóstico no sentido de serem aferidas possibilidades de construção considerando o aspecto visual da árvore, as técnicas a utilizar e procedimentos a adotar. Fizeram-se algumas pesquisas e foi mostrado aos alunos o tipo de embalagens a procurar tendo em conta os critérios regulamentados no passatempo, sensibilizando-os para as características únicas das embalagens “Tetra Pak”.


4.2. Recolha de embalagens
Após a sensibilização dos alunos, anteriormente descrita, estes comprometeram-se a recolher embalagens junto dos familiares, professores, colegas, e ainda no bar da escola, fazendo uma recolha periódica das embalagens e procedendo à sua lavagem e armazenamento na sala de aula.

4.3. Organização do trabalho
Como foi decidido que o material a utilizar seria essencialmente constituído por embalagens de sumo e que a árvore teria que ter as dimensões suficientes para suportar a mascote (boneco) foi fácil organizar o produto final.
Após a execução da estrutura da copa da árvore procedeu-se à aplicação das embalagens no tronco da árvore. Os alunos foram divididos em diversos grupos com o fim de desempenhar diversas tarefas, nomeadamente, a elaboração dos frutos, das folhas, das flores e da mascote (boneco) enquanto outros dedicaram-se ao revestimento da estruturas anteriormente indicadas.

5. Algumas vistas e pormenores
Fig.1 Execução do trabalho (elaboração do tronco, base e copa da árvore)







Fig.2 Alunos a executar o trabalho

Fig.3 Fruto com os símbolos ”FSC” e Tetra Pak

Fig.4 Pormenor do boneco mascote a segurar um fruto


Fig.5 Pormenor dos sapatos do boneco mascote com atacadores


Fig.6 Pormenor dos frutos






Fig.7 Aspeto geral da árvore vista de frente


Fig. 8 Aspeto geral da árvore vista de lado




6. Considerações Finais
Esta atividade revelou-se assim profícua no sentido em que se deu ênfase às questões ambientais, à importância que a reciclagem deve ter para todos nós. Cumpriu o objetivo de chamar a atenção para a importância de
deposição das embalagens para alimentos líquidos no ecoponto amarelo e ainda para o símbolo FSC® constante das embalagens da Tetra Pak 1L utilizadas pela marca Compal. Sempre que os alunos se envolvam e recebam as mensagens que estão associadas a uma atividade faz com que a participação valha a pena.


Professora de Educação Visual
Leonor Aivado
Coordenadora do Projeto Eco Escola
Teresa Mendes


Leave a Reply