Trabalho

Trabalho do 2.º Escalão

Escola E.B. 2,3 Cardoso Lopes (Amadora)

MATERIAIS:
• Embalagens Tetrapak (diversas)
• Tubo cartonado (rolo de suporte para tecidos)
• Caixa de cartão
• Cartão
• Papel de cenário reciclado
• Papel decorativo (imitação de relva)
• Folha plástica transparente
• Lápis de cera
• Tinta verde e castanha
• Furador (forma de coração)
• Tesouras
• Agulha
• Fio de náilon
• Linha de algodão (várias cores)


METODOLOGIA:
Acolheu-se com entusiasmo esta iniciativa que nos chegou através do programa Eco-Escolas.
Foi inicialmente lançado o desafio à comunidade escolar para recolha de embalagens Tetrapak e em particular da Compal visando os requisitos do projeto. Fez-se sensibilização direta e através da rede Facebook (Biblioteca escolar e Associação de pais). O bar da escola também contribui com embalagens depois de “consumidas” pelos miúdos.
Os critérios de construção do projeto foram explicados aos alunos e deixaram-se fluir as ideias para conceber a árvore. Ao manipular os materiais, em particular, as embalagens da Compal comemorativas dos seus 60 anos, criou-se uma ponte com os projetos já em prática na Ludoteca. A forma de Coração da Copa da Árvore surgiu, de entre os alunos, ao verem o coração em algumas embalagens da Compal. Sentiram que o que se faz na Ludoteca é feito com Amor e carinho, daí a importância do coração. A copa em coração foi desenhada com base na forma do Coração de Viana, criando, neste processo, criativo uma ligação à cultura e história portuguesa.
Mãos à obra!
Recolheram-se as embalagens, abriram-se, lavaram-se e construiu-se uma “manta de embalagens”. A manta foi cosida à mão com fio de algodão. Nela desenhou-se e recortou-se a copa em forma de coração, dando-lhe um tom verde. Importa referir que deixámos as tampas vermelhas criando o efeito de pequenos frutos, servindo ainda de ponto de âncora para perdurar os frutos maiores.
A copa oposta foi revestida a papel de cenário previamente decorado com a imagem dos 60 anos da Compal. De modo a proteger este lado da copa, revestiu-se com a folha plástica transparente, permitindo assim unir ambas as partes da copa.
Reutilizamos um tubo cartonado para servir de tronco dando suporte eficaz entre a base e a copa. O tubo foi revestido com embalagens “cilíndricas” de 1L da Tetrapak e pintou-se de castanho. A base em caixa de cartão foi revestida com papel decorativo a imitar relva.
Os frutos variados foram recortados a partir das embalagens de 1L da Compal, utilizando a imagem e forma dos frutos aí impressos. Teve-se o cuidado de cumprir com os critérios, deixando visíveis o símbolo da FSC e da Tetrapak, explicando aos miúdos o significado e utilidade de ambos. Os frutos foram revestidos com a folha plástica, cosidos de forma alegre com linha de algodão com os tons de cada fruto (laranja, pêra e maçã). A parte oposta dos frutos foi aconchegada com pequenos corações. Estes foram recortados das embalagens através de um furador com formato apropriado, remetendo deste modo para a importância da fruta no bom funcionamento do coração, em suma indo ao encontro de uma vida saudável.
Da conceção à construção, houve muita ação. Numa semana o projeto ganhou um novo balanço. O convite para participarmos no programa “Praça da Alegria” na RTP1 no Dia Mundial da Floresta e da Poesia deu ainda mais brilho aos miúdos envolvidos. Ora uns ora outros e o projeto ganhou vida, com a pulsação e o coração de cada um que para ele contribuiu.
Como os projetos a que nos dedicamos não são para ser descartáveis, pretendemos dar-lhes utilidade ao longo do tempo. Após a candidatura ao “SIM, criar uma árvore dá frutos”, manteremos a árvore prevendo usá-la anualmente como marca comemorativa da efeméride do Dia Mundial da Floresta. Pretende-se ainda integrar este projeto no âmbito dos currículos de Ciências e História, servindo de suporte para fotografias de modo a construir uma árvore genealógica. Será também incluída numa peça do Grupo de Teatro da escola e no programa do AmadoraEduca que decorrerá no dia 1 de junho, Dia Mundial da Criança. Outras propostas poderão ainda surgir dando sustentabilidade ao objeto resultante do empenho coletivo de miúdos e graúdos, satisfeitos com o trabalho realizado e empenhados em fazer mais e melhor.


INTERVENIENTES:
Recolha de materiais: Comunidade educativa (alunos, professores, pais e funcionários).
Conceção e construção: Alunos do 2º e 3º ciclo frequentadores da Ludoteca nos tempos livres, Animadora Sociocultural e Coordenador Eco-Escolas.
A Ludoteca é um espaço da escola que permite ocupar o tempo livre dos alunos de forma lúdica e educativa. Este é um espaço de afetos onde se dá asas à imaginação, criando arte através de jogos, pintura, textos artísticos e da frequente reutilização de materiais.


Leave a Reply